Como educadores, lancemos boas sementes...

.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Montando a árvore de Natal com meus irmãos

No sábado, eu, meus irmãos e sobrinhos, fomos para a casa da mamãe, para montarmos, juntos, a árvore de Natal. Os filhotes, claro, também ajudaram.
Aproveitamos para levar gordices: patês, pastas, pão de queijo, pão sírio, salgadinhos, panettone trufado de doce de leite da Kopenhagem...Meu Deus, comi sem culpa!






Minha madrinha, a tia Marisa (esta da foto ao lado comigo e com a mamãe), estava na cidade e foi bom demais contar com a presença dela! Fizemos uma ginástica só, porque a idade já não nos deixa tão maleáveis e flexíveis como antes...mas, demos conta.

Adoro esta época!  Recordo-me da minha infância, onde arrumávamos galhos naturais para montar nossa árvore de natal. Ás vezes colocávamos algodão em galhos secos, para simular a neve... (não tinha a menor semelhança, mas tudo bem!).


Houve um ano em que colamos bolinhas de isopor, daquelas bem pequenininhas, e achamos que ficou o máximo!


Hoje vejo que o que eu gostava mesmo era daquele afeto que envolvia a família na montagem dos enfeites natalinos. Somos cinco irmãos, e era aquela festa: bolar velas com laços e bolas coloridas, desenhar sinos e pendurar nas portas...
Era tudo tão simples, mas a gente achava tão bonito....


Montar a árvore com meus irmãos este ano me fez reviver bons tempos e reafirmar em mim a beleza das relações familiares.

Laços a gente constrói no dia a dia. Não devemos deixar pequenos momento passar em branco.




A experiência foi uma delícia!
Na foto ao lado, vocês podem constatar que ao final, a árvore ficou linda!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O Natal Chegou!!!

Por Priscila Pereira Boy- Pedagoga- Mestre me educação
priscilaboy@terra.com.br

O Natal está chegando e com ele, um grande desafio: não se render aos apelos de consumo de uma sociedade capitalista.
Eu me peguei pensando em quais presentes daria na ceia do fim do ano, quando nos reunimos em família. 
O fato é que a gente está sempre apertado e resolve que vai comprar apenas uma lembrancinha pra cada um. Mesmo assim, a conta sai cara, porque a família é grande e a gente não pode deixar ninguém de fora.
Alguns presentes não agradam as pessoas, nunca serão usados! Mas fizeram rombos no orçamento.

O que realmente importa nesta data?

Sou cristã, portanto não posso desprezar que esta é uma comemoração importante: o dia em que nos lembramos de que um dia Cristo veio ao mundo. Deus mandou seu próprio filho, por puro amor! Se o maior presente de Deus foi demonstrar seu amor por nós, façamos o mesmo. Não com presentes mas, com ações. Abrace, beije, diga que ama, escreva uma mensagem, uma carta. Mostre seu amor.

Segundo um amigo querido, emoções, sentimentos, sensações constituem pedaços de nossa vida - pedaços às vezes regados com sangue, suor e lágrimas. Como já advertia Freud (e tantos outros), mais do que a razão, são os sentimentos que movem nossas ações e não raro põem em marcha a própria história. Prova disso é justamente a relações com os familiares, amigos e conhecidos.

Muitas vezes guardamos sentimentos que poderiam ser compartilhados. Não sabemos bem como demonstrar amor.

A raiva, a ira, os xingamentos, a maledicência, a fofoca, falar da vida alheia. Isso sabemos bem. Fazemos queixas, cobramos, colocamos defeitos: em situações, em lugares, nos presentes, nas pessoas. E o que dizer da nossa falta de sinceridade e transparência com as pessoas? Acabamos por desenvolver uma capacidade inegável de camaleão. Trasvestimo-nos segundo a conveniência. Não somos o que somos e sim aquilo que deveríamos ser.

Mas, e o afeto? E as coisas boas? As qualidades, os acertos?
Cumpre-nos cuidar das nossas relações. Neste momento de natal, de encontros, de família, cabe a nós não ceder ao caráter provisório e efêmero das relações do mundo contemporâneo.

Fixemos nosso olhar no valor simbólico de certas tradições, que passam de geração em geração, como nosso patrimônio cultural e espiritual, que nos leva a contemplar a Cristo, como figura central, nesta festa de natal. Somente Ele deve ser o centro da festa. E devemos imitar suas ações: Acolher o próximo, se doar por Ele, não julgar, amar.

Este sim é verdadeiro espírito do Natal!

Tenham todos, boas festas!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Participação no Programa"De tudo um pouco"

Compartilho com vocês minha participação no Programa "De tudo um pouco", onde falo sobre o meu livro" Afinal, quem manda nesta casa?"

Acesse o link:
https://www.youtube.com/watch?v=E_KydmKJFMg


domingo, 9 de novembro de 2014

Emoções de uma mãe agradecida

Era pra ser um sábado como outro qualquer. Eu dormiria até mais tarde, faria unha no salão, esperaria o maridão pra gente sair e almoçar com os filhotes.
Mas, o de ontem foi diferente. Recheado de sentimentos múltiplos, profundos, gostosos de sentir. Ligados aos meus dois filhotes, estes lindões aí ao lado.

Primeiro, o filhote estava estreando no ENEM.
Eu estava eufórica, fiquei agitada, emocionada. Constatei:ele cresceu!


Postei aqui no blog algumas dicas para quem ia fazer o ENEM. Uma delas era levar um lanchinho, comer de 2 em 2 horas, para ativar o cérebro e não ter lentidão no pensamento. Então fui preparar uns "mimos"pra ele. Olha que lindo o "KIT ENEM" que montei! Barrinhas de cereal, chocolate, castanhas, biscoito e claro, canetas pretas transparentes.


Enquanto eu montava tudo, me passou um filme pela cabeça. Lembrei-me de 17 anos atrás, quando peguei o exame no laboratório, abri e li: positivo. 
Liguei para o marido, para os avós, pra um monte de gente... eu estava grávida!
E depois me lembrei de arrumar a mala da maternidade. Roupinhas lindas, sapatinho minúsculo, fraldas...
Arrumei muitas bolsas pra sair! As guloseimas eram outras: leite em pó, frutinha, suco e chazinho.
Já arrumei mala de viagem, mala de acampamento, mala pra dormir na casa dos colegas.

E fiquei pensando em quantos sinais a vida me deu sobre a separação inevitável que fazemos dos nossos filhos. As malas são sempre momentos de separação...mesmo que breves, mesmos que necessários. Os filhos foram feitos para voar. Ganhar o céu, o horizonte.

Eu fiquei emocionada ontem quando percebi que, ao fazer o ENEM, meu filho já vai fazer escolhas na vida profissional, vai se definido como pessoa. Vai se distanciando e tomando seu rumo. 
Voe filho. Alcance os horizontes do ilimite!


E aí, como se não bastasse, no final da tarde era a formatura da minha filhota. A minha menininha também cresceu! 


Eu fiquei me lembrando do primeiro dia de aula dela: Um toquinho de gente, com um aninho de idade, envolta e em um uniforme que cabia duas dela!

E carregava uma mochilinha de flor, que não soltava por nada neste mundo! Olha que graça ela estava na foto!

De repente a garotinha está se formando no 9° ano! De salto alto, tubinho branco, maravilhosa! Veja se estou mentindo...

E pra completar a emoção, ela foi escolhida, dentre a 7 turmas de formandos, para fazer um solo. 
Gente, a minha filha tem a voz linda demais!

E no final do dia, recheado de muitas e muitas emoções e alegrias, meu coração se encheu de gratidão. A Deus, por sua maravilhosa graça!  

A palavra Graça é KARIS em grego e significa "favor imerecido". E foi assim mesmo que me senti: alguém que recebeu de Deus um favor imercido. 

Um marido que amo muito, filhos saudáveis, lindos, tomando rumo na vida.



Minha família é um presente!

Tudo obra de Deus e do seu infinito amor.
Obrigada Senhor por tantos benefícios! Aquilo que Deus nos dá é sempre bom!


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Dicas para o ENEM

Os dias que antecedem a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) são marcados por forte expectativa e ansiedade para muitos candidatos e também de dúvida sobre o que fazer nos momentos finais.  A prova está aí, então é melhor reservar o dia que a antecede para descansar e descontrair: apenas relaxe.

Esses são dias de procurar atividades que possam divertir e não causar estresse. O ideal é não ter contato com o conteúdo para não chegar àquela conclusão do “só sei que nada sei”. Procure atividades culturais como teatro, cinema, sair com amigos, ouvir música. Algo que te faça bem.
Na véspera da prova, o melhor é descansar, ter um boa noite de sono e alimentação leve.

É recomendável chegar com antecedência de uma hora ao local de prova para evitar ainda mais nervosismo. Se o candidato não se preparar e chegar em cima da hora, ele já chega nervoso, sobressaltado e isso pode prejudicar a concentração.

Para os dois dias do ENEM, a dica para aumentar o rendimento é levar lanche e se alimentar a cada uma hora e meia. Segundo estudos da neurociência, com tantas horas sem comer, o cérebro não vai conseguir dar as mesmas respostas, então, leve barras de cereais, chocolate. Ter em mãos um lanche ajuda a evitar que o candidato tenha esquecimentos durante a prova.

Se levantar para beber água ou ir ao banheiro durante o período da prova para ativar a circulação e espantar o sono e aproveitar todo o tempo disponível para responder às questões também ajudam.

Aproveite todo o tempo de prova e não saia antes do final. Mesmo que tenha terminado a prova, é interessante aproveitar todo o tempo para revisar as questões que foram mais difíceis de resolver e geraram dúvidas.  O tempo médio gasto em cada questão deve ser de três minutos.

A redação também merece planejamento prévio. No segundo dia é interessante que não deixem a redação para o final, ou façam antes, entre a prova de linguagens e a de matemática. Essa é uma dica importante porque a prova de linguagens pode gerar alguma ideia criativa para que possam desenvolver a redação.

Não se esqueçam que a redação tem um peso enorme na nota e que é o primeiro critério de desempate, portanto dê total atenção a ela.
Alguns temas que penso serem possíveis de cair este ano. Lembrando que são apenas percepções minhas sobre a atualidade, porque o ENEM é sempre uma caixinha de surpresas:
  • ·         Redes Sociais como agente de mobilização e relacionamento (Por causa das manifestações e suas repercussões);
  • ·         Eleições, democracia, tema ligado à política (Por causa da acirrada disputa e polarização das eleições este ano);
  • ·         Questões ambientais, como foco no racionamento/escassez da água;
  • ·         Questões de identidade de gênero, raça, cor, diversidade (por causa da luta dos movimentos sociais)

No mais, boa sorte a todos, que Deus ilumine a abençoe cada um!




terça-feira, 21 de outubro de 2014

Lançamento da Revista: Inculturação Salesiana

Foi lançada, no sábado dia 18 de outubro, a Revista "Inculturação Salesiana". Na foto ao lado, todos com a revista na mão, comemorando esta grande conquista conosco.

Senti uma emoção enorme, pois participei como editora chefe e acompanhei toda a edição de perto. Vê-la concretizada foi motivo de grande alegria. 

O irmão Manoel, articulador Inculturação também se envolveu em todos o processo, bem como o Padre Geraldo Adair, articulador anterior. Sem contar a Comissão de Inculturação da Inspetoria, que contribuiu
muito, possibilitando o aprimoramento da proposta.

A ideia de publicar uma revista sobre a Inculturação salesiana nasceu do desejo de tornar públicas as ações da Inspetoria São João Bosco em torno da promoção da Igualdade étnico-racial. Tem por objetivo relatar as práticas, informar as pessoas sobre a temática, socializar reflexões, conquistas e reconhecimentos.

A revista foi organizada de forma dinâmica em várias seções.  Isto nos possibilita envolver vários segmentos da ação educativa: educandos, educadores, especialistas, pais, colaboradores, etc.
Nesta edição comemorativa, tivemos uma entrevista com o jogador Tinga, que recebeu a revista em sua casa para falar sobre o racismo do qual foi vítima em um jogo no Peru. Ele está comigo na foto ao lado. Falamos de Projetos desenvolvidos, sugerimos ações práticas, indicamos filmes e leis para reflexão. Há artigos sobre direitos humanos, preconceito, a lei 10.639 e muito mais! A Revista ficou um espetáculo!

A orientação é multiplicar as ideias e fazê-las circular. Por isso, as pessoas foram encorajadas a ler a revista e passa-la adiante. Todos deverão fazer um “self” ao passar a revista a alguém. Na foto ao lado, fizemos o nosso ao entregaremos a revista ao visitador de Roma, Padre Natali Vitali, que representa o Reitor Mor dos Salesianos.
Todos deverão postar seus Selfs na página do facebook da Inspetoria São João Bosco, sinalizando o que mais gostou na revista.







Queremos compartilhar com todos, a nossa experiência e convicção de que é possível desenvolver um trabalho pautado na ética, na igualdade e que respeite a dignidade e a diversidade cultural. Na foto ao lado, os queridos amigos e apoiadores Pe Geraldo, Pe Anselmo e Beatriz.

Combater o racismo é papel de todos nós!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Feliz dia do Professor!

Sabe quando você lê um texto, e gosta tanto, tanto, que dá vontade de ler de novo, e reler e reler e reler? Pois é. Aconteceu comigo quando li este texto do meu amigo, Thiago De Lazzari, de quem sou fã. E, ao invés de fazer uma homenagem com um texto meu, vou me valer do texto dele. Parabéns professores: vocês são meus heróis!!!


O Professor, não é um herói.

Por Thiago De Lazzari-
Coordenador de Marketing e TI do Colégio Dom Helvécio em Ponte Nova
Sangra, tem fome
Tem mãe doente,
Tem fatura de cartão
Escoliose, depressão
Ama, sorri e morre.
O Professor não é um herói.
Nem um ícone a ser louvado.
E pouco importa se no Japão ele é o único que não se curva frente ao imperador.
O professor sente dor. E muitas vezes (muitas) usando a voz pra trabalhar
Disfarça um nó na garganta.
O Professor não é um herói.
As dificuldades costumam ser cumulativas
E sedimentando ano a ano uma maré de sentimentos
no final, dorme pouco, pensa muito e se aposenta.
Daí, em um passeio matinal, ele encontra advogado, médico, economista.
Engenheiro, psicólogo... E uma frase comum: - Lembra de mim? Fui seu aluno!
Tão bom quanto qualquer contra cheque gordo! E apesar das mágoas, um sorriso no rosto.
Agora, o arrepio na alma, vem quando inadvertidamente, ele reconhece um aluno específico e lhe pergunta a profissão.
- Também sou professor!
Aí sim, a felicidade adoça o dia.
Definitivamente o professor não é um herói.
Mas é o mais perto que se chega pra se transformar em um..

domingo, 21 de setembro de 2014

Encontro de mulheres em Sabará


Estive ontem a noite, dando palestra no encontro de Mulheres, promovido plea federação da igreja Presbiteriana.


O lugar é maravilhoso! Sitio SHALON, em Sabará, tem uma paisagem linda, acomodações confortáveis e já proporciona um descanso desejável.
O tema da minha palestra foi:
" Os desafios da mulher na pós modernidade"
As mulheres estão cada dia mais pressionadas por paradigmas da pós modernidade, que, ao invés de beneficiá-las, tem se transformado em fatores de opressão interna e externa.
Destacamos os seguintes desafios:


1-Aparência: Temos que ser belas , magras , jovens, estarmos sempre lindas em toda e qualquer situação. Mas nem sempre isto é tão simples assim. A mulheres foram desafiadas a cultivar primeiro a beleza interior, valendo-se da premissa de que " um coração alegra aformoseia o rosto."




2- Carreira: temos que ser bem sucedidas, temos que ocupar cargos de destaque, temos que trabalhar. Algumas mulheres optaram pelo lar e são criticadas por isto. A carreira só é benção quando é de livre escolha e de comum negociação , pois os filhos e a casa não podem ficar de lado.

3- Independência: o mundo contemporâneo trouxe muitas conquistas para as mulheres. Mas, independência não significa competição com os homens. Nossos parceiros são pessoas que devem ser nossos companheiros e não forças opositoras a nós. A dependência não é sempre pejorativa e negativa, ela pode ser revestida de cumplicidade e companheirismo.

4- Maternidade: Somos cobradas de que temos que ser a "mãe perfeita". Sabemos que perfeição é uma palavra utópica. A chegada de um filho também mexe com nossa rotina e com nossa estrutura emocional. Portanto, devemos ficar atentas à nossa relação com nossos filhos, para que ela seja o mais saudável possível.

Por fim, identificamos que Jesus veio ao mundo para resgatar a dignidade da mulher. Foi por meio de uma mulher que Ele veio ao mundo, nos trazer salvação. Foi às mulheres que Ele apreceu primeiro, após ressuscitar. E as mulheres também são herdeiras, juntamente com os homens, da mesma graça de Deus.
Ser mulher não é fácil, mas eu não seria homem por nada!

EU AMO SER MULHER!!!!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Primavera: tempo de renascer e florescer!

Meu artigo deste mês, no jornal Ana Lucia.

Por Priscila Pereira Boy-
Pedagoga- Mestre em Educação

Primavera me lembra flores, que me lembra plantação, que me lembra de sementes. 

Boas sementes, que precisam ser semeadas, regadas, cuidadas, adubadas para florescer.  O solo pode ser bom: se não cuidamos da semente, nada floresce. 
E precisamos plantar o que queremos colher. Quem pode querer colher laranjas se semear maçãs?

Esta reflexão sobre colher o que plantamos, me veio à mente neste mês que passou, pois ela foi marcada por dois episódios que me tiraram o chão, o eixo, que mexeram comigo. Primeiro assisti no jornal a gravação feita pelo pai do menino Bernardo, onde ele e madrasta o tiranizavam, debochavam e o ameaçavam de morte. Queriam provar que o menino era agressivo, que se dirigia a eles de forma desrespeitosa. Meu Deus, ele tinha apenas 11 anos!

Nossos comportamentos não são fruto de semeaduras? Que sementes teriam lançado na vida de Bernardo para que ele agisse daquela forma? Será que agressividade brota assim, do nada?

Eu fiquei horas pensando na maldade humana. Se ela tem limites, porque sou mãe de dois filhos, que já me fizeram muita raiva, mas nunca teria coragem de trata-los daquela forma: lançar a eles palavras amargas, de depreciação e humilhação como aqueles dois o fizeram. Tenho certeza de que vão colher os frutos amargos da dor que semearam na vida daquela criança.

Outro episódio que me abateu sobremaneira foi o tratamento que deram ao jogador do Santos, o Aranha. Ele foi chamado de “macaco” pela torcida do Grêmio, de “Preto fedido”, recebeu vaias e ofensas, do nada.
Meu Deus, em que mundo estamos?  Que sementes são estas que estamos plantando? Temos o direito de agir assim? Uma torcedora flagrada pelas câmeras disse que está arrependida. 
Todo mundo tem o direito de errar, mas será que se não fosse flagrada estaria pedindo perdão assim ou está mesmo é com medo da cadeia? Porque, todo mundo já sabe que racismo é crime inafiançável.

Cuidar do que fazemos, cuidar do que falamos, cuidar do outro. Cuidar de si. Precisamos cultivar boas atitudes, boas ações, boas amizades. Somente desta forma colheremos bons frutos. Seremos mais humanos e com certeza, mais felizes!

A primavera está aí: e é tempo que sugere renovação. Germinar, florescer, frutificar.


Que sua vida seja sempre propensa a realizações que disseminem sementes, frutos e flores positivos. 

Pensemos na semente, porque a semeadura é livre, já a colheita, esta é obrigatória.

sábado, 23 de agosto de 2014

Palestra no Projeto "Escola da vida"


Estreei hoje minha participação como voluntária no Projeto Escola da Vida. Dei palestra aos pais e professores da escola Estadual Paulo da Graças. Falamos sobre aprendizagem e sobre o que podemos fazer para que os alunos aprendam mais.

Na foto ao lado estou com o diretor João (esse gigante!) da escola e com os coordenadores do Projeto. A estrutura do Projeto compreende uma semana de atividades na escola, na qual se desenvolvem cinco atividades principais.
  • ·         PALESTRAS
  • ·         LANCHE PARA PROFESSORES
  • ·         CONCURSO DE REDAÇÃO
  • ·         EVENTO CULTURAL
  • ·         REUNIÃO COM PAIS


Público Alvo: Preferencialmente alunos do Ensino Médio e de 7ª à 8ª série (14 a 18 anos).

As palestras são para os alunos. Estas devem acontecer de segunda-feira a quinta-feira, os temas selecionados pela escola serão abordados –um por dia. Para que todos os alunos possam ouvir cada palestra, elas são ministradas repetidamente em um local fixo (auditório ou sala ampla), e as turmas se revezam quantas vezes forem necessárias – isto dependerá do número de alunos e de quantos turnos (manhã, tarde e noite).

Os professores são pessoas muito estratégicas na vida da escola, e em especial dos alunos. O apoio deles é fundamental na educação de cada aluno, por isso é oferecido um momento de lanche e bate-papo com os professores para mostrar a importância de cada um deles na  sociedade. O lanche acontece uma vez na semana no horário do intervalo ou no horário da coordenação dos professores.


O concurso de redação é divulgado no começo da semana para todos os alunos interessados e não tem caráter obrigatório.
O evento cultural acontece às sextas feiras. A apresentação é feita de forma dinâmica, com música (bandas), teatro, vídeos e os recursos criativos que a equipe puder dispor no dia.

O momento com os pais visa promover a parceria família x escola. Sabemos que dependendo da realidade das famílias da escola, muitos não recebem orientação adequada ou estão perdidos quanto à educação de seus filhos. O Projeto tem o intuito de dar uma pequena contribuição para estas famílias, comunicando a mensagem de que os pais ocupam uma posição singular no processo educativo de seus filhos.

Por enquanto, minha atuação está ligada a este momento com os pais. Atuo como voluntária dando palestras.
Peço que todos se unam a nós em oração e quem sabe participando também? Se vc deseja ajudar, ou se deseja implantar o Projeto em sua escola, faça contato e acesse o site:


sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Trocar ou não o celular?


Por Priscila Pereira Boy- Pedagoga- Mestre em Educação

Estou pensando em trocar o meu aparelho de celular. E comecei a pesquisar a melhor opção. Entrei em crise, fiquei insegura. Não sei escolher o melhor para mim. Cada um diz uma coisa, fala sobre a vantagem de tal marca, fala das funções que perderei se não comprar este ou aquele aparelho. Fiquei louquinha e decidi: fico com o meu mesmo, pelo menos por algum tempo. Assim minha alma se aquieta e penso com calma.

Fazer escolhas gera em nós um dilema angustiante. Isto porque toda escolha traz consequências. Algumas podem ser desastrosas para nossa vida.
Sou do tempo em que, para escolher a cor de uma parede, a gente decidia entre o branco, o gelo, o areia e o palha. E já ficava meio na dúvida. Hoje, qualquer decisão passa por um número industrial de alternativas. 

Aí entramos em outro quesito, que nos dias atuais assumiu outra proporção: o da pesquisa. Pesquisa de preço, de modelo, de lugar, de hotel, de trajeto, de música, de… tudo. 
Até o certo e o errado podem ser pesquisados ao toque de um botão: Mr. Google resolve tudo. Ele virou nossa ética, diz o que devemos e o que não devemos fazer. Só não resolve aquilo tudo que deixamos de usar para pesquisar, como fazíamos antes. Em primeiro lugar, os neurônios, que agora só precisam lembrar dessa ferramenta que está fora de nosso cérebro e vai resolver o problema. Saber clicar e encontrar a resposta, sem que nosso raciocínio esteja envolvido. 

Usando GPS e Wazes, chegamos mais rápido, isso é certo, não nos perdemos, que bom, mas nosso senso de orientação vai ficando cada vez mais preguiçoso e nós cada vez mais tontos. Imaginem vocês que esta semana me esqueci que estava com o carro do meu pai e tinha que dar uma palestra a noite em um lugar que não conhecia. Nem pesquisei onde era, pois confio no meu guia máster: o GPS. Só que meu pai não tem a ferramenta mágica. Conclusão: me perdi, quase perco a hora!

Há uns 5 anos atrás, para decidir qual televisão comprar, batíamos pernas de loja em loja, passávamos horas pendurados no telefone negociando condições de pagamento e qualidade da peça. 
Hoje? A internet oferece o produto, dá o preço e faz a entrega. E nós não saímos da cadeira, não exercitamos nem corpo nem dialética, cada vez mais bobos e felizes, pensando: “que bom, economizei tempo, dinheiro e preocupações”. 

Pois eu acho isto tudo bastante preocupante. Você não? Não estamos falando de crianças que vivem na frente de computadores e joguinhos, que nunca vão pisar numa grama ou subir numa árvore ou saber de onde saem os ovos. Eles são frutos de uma nova era, a realidade delas é essa.  São nativos digitais.
Estou falando de nós, adultos, com livre escolha para ver o que estamos deixando de vivenciar, o quanto estamos deixando de pensar, achando que temos mais agilidade de ação e mais tempo para… continuar na frente do computador. 

Escolher não é fácil. Exige reflexão, exige prospecção, exige ousadia. E resolvi que entre todas as escolhas que posso fazer nos dias de hoje, eu escolho pensar. E resolvi: por agora, não vou trocar de celular!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Formação continuada no Instituto Dom Bosco de Campos dos Goytacazes/Rio

Estive o Instituto Dom Bosco de Campos, para fazer a formação continuada dos professores e realizar treinamento com a equipe técnica, com quem estou na foto ao lado.

Com o grupo da educação infantil conversamos sobre como se dá a confecção dos Portfólios, porque construí-lo, o que ele deve conter, suas bases legais. Todo Portfólio parte de intenções educativas, do currículo executado e deve ser um instrumento de avaliação e não uma mera coletânea de atividades.

Abordamos também a confecção dos relatórios a serem enviados aos pais. Diferenciamos relatórios individuais, relatórios coletivos de trabalho e de Relatórios de Projetos.

No período da tarde foi a vez do Ensino Médio e do fundamental II. Conversamos sobre o que é o SSEE, a ISJB e seu planejamento estratégico. Destacamos a linha Axial, onde está planejado o pleito, em 2014, do selo ISO em educação. Este é um dos motivos que tem nos levado a trabalhar pela padronização dos procedimentos e processos.
Fizemos um treinamento para matrícula com as orientadoras, pessoal de TI e comunicação, recepcionistas e secretária escolar. Distribuímos apostila previamente, contendo todos os passos necessários ao atendimento. Desde a documentação até o atendimento aos pais, destacando o atendimento telefônico, presencial, aspectos físicos, limpeza, material de apoio etc.

A formação feita com os professores do Fundamental I teve como temática, a Proposta de avaliação a rede Salesiana ade escolas, baseada em um texto da katia Smole onde ela deixa claro a necessidade de trabalhamos com múltiplos instrumentos de avaliação.

Em relação à temática de Avaliação Escolar, destacamos que a avaliação é um processo e não um momento estanque em si mesmo. E ainda, instrumentos de avaliação não são necessariamente avaliação. É preciso avaliar sempre, acompanhar, monitorar, mas o que realmente vai garantir a aprendizagem são as intervenções que fazemos frente ao desempenho do aluno.

Mostramos 8 instrumentos de avaliação diferenciados, destacando a utilidade e uso de cada um, ensinado como planejá-los e como apresentar as propostas aos alunos. Dividimos os professores em pequenos grupos para que eles elaborassem o instrumento avaliativo delineado e posteriormente apresentassem ao grupo maior. Foi um momento muito rico, o grupo respondeu muito bem à nossa proposição

 A equipe me recebeu de braços abertos! Recebi homenagem dos alunos e muitos mimos! Agradeço a acolhida e confiança e desejo um semestre abençoados!

Jornada Pedagógica no Colégio Salesiano São Domingos Sávio, em Brasilia

Aconteceu, no dia 10 de julho de 2014, a Jornada Pedagógica do Colégio São Domingos Sávio, em Brasília. 

Fui convidada para ministrar formação aos professores. Falamos sobre dois temas: Avaliação e relações interpessoais, com foco na (in)disciplina dos alunos.

Em relação à temática de Avaliação Escolar, destacamos que a avaliação é um processo e não um momento estanque em si mesmo. E ainda, instrumentos de avaliação não são necessariamente avaliação. É preciso avaliar sempre, acompanhar, monitorar, mas o que realmente vai garantir a aprendizagem são as intervenções que fazemos frente ao desempenho do aluno.
Mostramos 8 instrumentos de avaliação diferenciados, destacando a utilidade e uso de cada um, ensinado como planejá-los e como apresentar as propostas aos alunos. Dividimos os professores em pequenos grupos para que eles elaborassem o instrumento avaliativo delineado e posteriormente apresentassem ao grupo maior. Foi um momento muito rico, o grupo respondeu muito bem à nossa proposição.

Em seguida, falamos sobre a taxonomia de Bloom, como base pra elaboração dos itens, contemplando as habilidades cognitivas de cada aluno. Destacamos o que é a TRI (Teoria de resposta ao item) e como o ENEM trabalha. Fizemos uma análise de itens elaborados em outras escolas.
Finalizamos nossa participação, com a temática:
Relações Interpessoais: desatando nós e criando laços.
Trabalhando a (in)disciplina na sala de aula.
A palestra procurou levar os professores à reflexão acerca do relacionamento entre professor e alunos na escola. Destacamos estudos realizados no meio acadêmico que aponta algumas causas para a indisciplina escolar. Ressaltamos nossa opção pelo sistema Preventivo em detrimento de uma educação repressora. Trouxemos casos práticos, mostramos ações propositivas com o objetivo de melhorar esta relação no dia a dia.

A equipe me recebeu de braços abertos! Ao final, chocolates da Kopenhagen!Agradeço a acolhida e confiança e desejo um semestre abençoado!

terça-feira, 15 de julho de 2014

Fechada com o Tinga!

Hoje pela manhã fui recebida pelo jogador do Cruzeiro, Tinga, em sua casa.

Ele me concedeu entrevista para a Revista da Comissão de Inculturação da Inspetoria São João Bosco que será lançada em outubro.

O tema da revista versará sobre a promoção da igualdade étnico racial.

Falamos de infância, de carreira, de futebol, família e claro, sobre o racismo. Todos nós, fechados com o Tinga, chutando o preconceito! A revista promete! Aguardem! Valeu Tinga!