Como educadores, lancemos boas sementes...

.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Consultoria na E. M. Padre Francisco


Estive hoje na Escola Municipal Padre Francisco, onde demos início a consultoria para a construção do Projeto Político Pedagógico da Instituição. Nas fotos ao lado estou com as educadoras.
O Processo está acontecendo de forma participativa e as educadoras tem dado boas contribuições ao debate.
Hoje conversamos sobre o que é um PPP, porque construí-lo, o que deve conter nele, as bases legais.
Conversamos sobre a situação atual da escola, suas dificuldades e possibilidades.
Tem sido um momento muito rico , de reflexão e debate. O envolvimento e a participação de todas tem feito com o trabalho avance cada dia mais.
Agradeço pela confiança e pelo acolhimento.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Simpósio Internacional em Nova Lima

Estarei, no próximo sábado, em Nova Lima, falando II Simpósio Internacional de educação, abordando o tema:
" Novas formas de Ensinar, Novas formas de aprender."
Para maiores informações, acesse o site da Conexa Eventos:




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Dia da árvore

Hoje é dia da árvore: plante, preserve, se encante. O planeta agradece!
Desenho do meu amigo, Bruno Grossi, que é um grande ilustrador!

Conheça mais do trabalho dele no site:
http://turadinhas.com.br/

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Consultoria na E. M. Prefeito Souza Lima


Estive hoje, o dia todo, em consultoria na escola Municipal Prefeito Souza lima, em BH.
Faremos uma consultoria até o fim do ano, com encontros periódicos.
O tema dos encontros de formação com os professores é :
“Indisciplina e violência no ambiente escolar”.
Na foto estou com a equipe e com Nara, a diretora.
A queixa entre eles é unânime:
Ninguém consegue dar aula!
Falta de limite, de educação e ética são recorrentes no cotidiano desta escola. O primeiro momento foi de ouvidoria; os professores relataram suas angústias e destacaram sua impotência diante de várias situações de falta de respeito e indisciplina na sala de aula.
Destacamos algumas causas, apontadas por pesquisas, do comportamento desenfreado dos alunos nos dias atuais:
Nova organização da família, globalização e cultura do consumo, falta de conhecimento sobre o desenvolvimento humano.
Nosso trabalho está apenas começando!
Todos se mostraram participativos, receptivos e animados. o caminho é este mesmo:
Debater amplamente o tema e buscar, JUNTOS, múltiplas soluções!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Aceitação

Pra gente pensar ....


Tradução: " A única necessidade especial que eu tenho é de ser amado e aceito da maneira que sou"   

domingo, 9 de setembro de 2012

Artigo meu publicado no Jornal "O DIA", Rio de Janeiro

Foi publicado um artigo meu, no Jornal "O DIA", do Rio de Janeiro. Nele falo sobre os desafios da Educação nos dias atuais.
 Garantir acessoà escola e qualidade no ensino a todos os cidadãos, lidar com a diversidade, com a violência é um objetivo a ser alcançado.
Conclamo o Estado a ssumir seu papel diante desta demanda, mas não isento a sociedade, que também pode contribuir, participando, apoiando, cobrando.
Abaixo segue o artigo na íntegra:



Priscila Pereira Boy: Os desafios da educação

Priscila Pereira Boy é pedagoga, mestre em Educação e consultora educacional

Rio - O processo de globalização impõe à escola e ao Estado, o grande desafio de promover uma educação para todos os integrantes da sociedade. Estamos diante de pressões sociais, culturais, políticas e civisE oferecer uma educação de qualidade requer, além de vontade política, um compromisso com múltiplos investimentos: em pessoas, em espaços escolares, em material pedagógico, em formação constante e remuneração adequada e compatível com as exigências que uma boa educação nos impõe.
Ou seja: garantir uma escola para todos não é algo tão simples assim. Mas o retorno é grande. A presença de mais pessoas na escola aumenta sua diversidade. Conviver com elas, com valores e concepções morais diferenciadas, ritmos de aprendizagem variados, exige dos professores e da escola novos olhares e, principalmente, tolerância e humildade. Não aceitar as diferenças e olhar apenas o próprio universo pode causar muita violência no cotidiano escolar.
Construir uma escola onde todos aprendem  são respeitados e aceitos, é a grande meta de todos nós. Para isto, precisamos fazer com que os alunos sejam protagonistas e não somente expectadores.
É fundamental, com certeza, também promover programas de prevenção e conscientização em relação à violência e à diversidade. As inquietações, como bem sabemos, são multifacetadas e atravessam as relações sociais e as escolas brasileiras de maneira perturbadora.
Praticar uma gestão compartilhada, onde todos participam democraticamente das decisões, exercitando sua cidadania, é umas das ações que se fazem necessárias para enfrentarmos os desafios dos novos tempos. Ações articuladas entre escola, famílias e sociedade contribuirão, certamente, para melhoria da educação.

sábado, 8 de setembro de 2012

Excesso de atividades na escola: Infância cada dia mais prejudicada

Em nome de preparar os alunos para os desafios do futuro, as escolas estão apertando cada dia mais os alunos.
" No ano que vem os conteúdos e as exigências serão maiores". Esta frase se tornou a grande justificativa dos educadores para começar, cada dia mais cedo a exigir um milhão de coisas das crianças, compromentendo a linda  fase da vida, que é a infãncia.
Quando acreditávamos que a educação se dava por meio da memorização, da fixação e do adestramento, muito bem representado pelo condicionamento clássico operante, de Pavlov, realmente se justificava treinar os alunos, condicioná-los, para que alcançassem bons resultados futuros.
Porém hoje, com os estudos psicogenéticos, com a neurociência, com as contribuições de Piaget, que nos prova que a criança aprende  por meio de construções internas e que tem fases de desenvolvimento nas quais podemos constatar algumas características distintas umas das outras, percebemos que não é produtivo forçar as crianças antecipadamente a alguns tipos de comportamento ou execução de atividades. Isso porque, no ano que vem, quando ela estiver mais madura, avançando naturalmente em seu desenvolvimento, ela executará as tarefas sem peso, sem fazer tanta força, sem correr atrás de um "prejuízo" que ela , na verdade, não tem.
Há outro fator muito importante a ser considerado, que é a importância do brincar para a representação do mundo adulto por parte da criança. Vigotsky nos relata muito bem que a criança fantasia porque tenta desesperadamente entender o mundo. Quando enchemos as crianças de atividades, para prepará-las para o ano seguinte, tiramos delas a oportunidade do brincar, ação FUNDAMENTAL para o desenvolvimento do indivíduo na infãncia.
No ano que vem, as crianças estarão mais velhas, mais maduras e aptas para enfrentar os desafios inerentes àquela idade.
Não vamos apressar o rio. Afinal, ele corre sozinho...

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Combatendo o consumismo


Vivemos em um mundo essencialmente capitalista e consumista. Você é o que você tem. Somos levados a comprar e compra e comprar. Mesmo que eu não precise, mesmo que eu possa viver sem, o bombardeio publicitário nos leva a consumir cada dia mais. É preciso repensar estas ações, porque o planeta não aguentará por muito mais tempo tanto lixo sendo produzido. E ainda, as pessoas precisam cultivar mais os valores essenciais: amizade, carinho, respeito, cuidar do ser em detrimento do ter.
 E agora está se aproximando uma data em que o consumo costuma ser bastante exagerado. O dia das crianças. Para repensar as comemorações deste dia, o Instituto Alana lançou um grande movimento para a realização de feiras de troca de brinquedos em todo o Brasil.
Ao invés de presentear nossos pequenos com brinquedos novos, convidamos as famílias a participar de uma feira de troca.
É fácil: a criança leva aquele brinquedo em bom estado, que já não tem tanta graça pra ela mas que pode ser uma novidade e tanto para outra criança. E as trocas são feitas.
As vantagens são muitas: interação, custo zero para as famílias e as crianças não deixam de ser presenteadas.
Que tal encabeçar uma feira destas na sua cidade? Você vai ver que a pessoa mais feliz com tudo isso pode ser você!
Veja mais detalhes no site: feiradetrocas.alana.org.br

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Lucrando com a miséria

Esta foto me tocou bastante...E me fez refletir que tem muita gente lucrando com a miséria no mundo. Triste realidade!