Como educadores, lancemos boas sementes...

.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

FELIZ Ano Novo



Nestas duas últimas semanas, escutei muito a palavra:
                       FELIZ

É FELIZ natal, é FELIZ ano novo, é "que você seja sempre muito FELIZ"...
E eu fiquei pensando nisso. O quanto estar feliz é algo instável, condição flutuante que, dependendo da frequência em que acontece em uma situação, um dia, um ano, te dá a medida da tal felicidade.
 Você esteve feliz ao longo deste ano? Esteve feliz enquanto cozinhava o almoço, buscava os filhos na escola, fazia supermercado, ia á igreja, conversava com um amigo?

Ou a alegria tomou conta de você quando sentiu aquele perfume de pão de queijo caseiro que te lembrou da sua infância, ou quando pensou que seus filhos estão se ajeitando na vida, que seus pais estão vivos e com saúde, que você teve muitas conquistas ao longo do ano que passou...
Pequenos tijolos de felicidade que a gente vai empilhando vida afora.
Alcançar a felicidade é algo tão subjetivo quanto utópico, estava aqui e agora não está mais.
Fazer o possível para estar feliz por mais vezes em um dia, já é um bom começo. Para isso, a gente precisa se fazer essa pergunta de vez em quando, assim de supetão, pegando a si mesmo desprevenido:

 “Peraí, você tá feliz agora?”.

As respostas vão te dar uma ideia do nível de "satisfação do cliente", que no caso é você mesmo.
O passo seguinte é bem clichê. Pergunte-se:

                       O que faz você feliz? 
Vai atrás. A vida é muito curta para ficar deixando para depois. O depois vem tão rápido que… Viu, já passou!
                           Sendo assim, desejo a todos um FELIZ Ano novo!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Feliz Natal!


Os historiadores não confirmam se Jesus nasceu realmente no dia 25 de dezembro. Para mim, que sou cristã, isso não faz a menor diferença!

O importante é que Ele veio ao mundo: nasceu, morreu por nós e RESSUSCITOU!

Este é o grande diferencial de Jesus em relação aos outros líderes e deuses religiosos:
Ele não morreu. Está vivo!

 Essa é a razão da nossa fé e a grande esperança dos cristãos; estar, um dia, ao lado de Deus, por meio de Jesus, eternamente na glória...
                                                      Aleluia!!!!
                                                      De coração, eu e minha família, desejamos que  todos tenham um Feliz natal!

Educando filhos no século XXI

Estive ontem, na igreja batista, fazendo uma palestra sobre " Como educar filhos no século XXI".
Foi um momento muito precioso, pois o público foi muito afetuoso e receptivo.
Falamos sobre a importância dos limites para produzir segurança nas crianças.
Limites devem ser bem estabelecidos e claros.
Destacamos a diferença entre Regra e Combinado.
As regras são inegociáveis e são fundamentais para a formação do caráter. Já os combinados podem ser flexíveis, podem ser negociados com os filhos.

Destacamos o conceito de moral e ética, suas afinidades e diferenças.
A moral está diretamente ligada a punição, enquanto a ética está ligada a generosidade. Um indivíduo ético faz a coisa certa porque acredita naquilo, mesmo que ninguém o esteja vigiando.
A melhor maneira de formar cidadão éticos é através do exemplo. Pais que não respeitam a regras sociais dificilmente terão filhos que o façam.

Falamos sobre a importância de cultivar valores espirituais com os filhos, como uma vida de oração, leitura constante da palavra de Deus, envolvimento em ações solidárias e contribuições financeiras.

Destacamos a diferença entre castigo, punição e disciplina, lembrando que quem disciplina quando está com raiva, não corrige, vinga.

Ao final foi dada oportunidade para o público fazer perguntas.
Uma mãe mostrou-se aflita porque sua filha vem sofrendo " assédios" de uma coleguinha (ambas com 5 anos) que insiste em beijá-la, á força, na boca.
Nossa orientação foi de que ela deve procurar a mãe da criança e relatar seu desconforto e o da sua filha, com a situação. Se a outra mãe não vir problema nisto e se negar a tomar uma atitude, é melhor se afastar por um período, até  que esta fase passe, pois sua filha é muito nova e não tem condições de se defender sozinha nesta situação.
Outra pergunta foi sobre namoro. A filha de 13 anos quer namorar, mas o avô ( com quem a menina mora) acha que ela está muito nova.
Concordamos com o avô, de que a menina está nova, mas um simples NÃO, não resolverá o problema, porque a garota se diz apaixonada. Como sabemos que paixões da adolescência costumam ser fugazes, orientei-o a dizer que vão esperar um tempo e que, após este período, se ela ainda estiver gostando dele, ele permitirá o relacionamento. Será um tempo de amadurecimento da neta e dos sentimentos dela.

Tivemos perguntas sobre como estimular cognitivamente os filhos, como lidar com crianças inquietas demais, etc...etc...etc...muitas dúvidas!

Foi maravilhoso estar ali, contribuindo com os pais para a educação de seus filhos. Agradeço a Deus pela oportunidade!




quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Premiação do concurso de redação

Na noite de hoje, ocorreu, no auditório do Colégio Batista mineiro, a premiação dos alunos que foram contemplados no concurso de redação. O tema abordado foi: " A importância da preservação das florestas". Ao todo, participarem mais ou menos 500 alunos. Foi relatado o alto nível das escritas, que aliás é um dos pilares nos quais a instituição vem investindo em seu trabalho cotidiano.
Para minha alegria, minha filha Paula Pereira Boy, ficou em segundo lugar. Foi uma alegria muito grande! Os alunos ganharam certificado e um e-book, com todas as redações classificadas.Ao lado ela está com o diretor geral, Prof. Valseni Braga e com a coordenadora do sexto ano, Fernanda Maciel.
Abaixo veja a redação da minha filha. Ela faz uma brincadeira com o conto de fadas " Chapeuzinho vermelho" e dá um "SHOW de criatividade e bom humor. Só fico me perguntando uma coisa:
Porque ela não tirou o primeiro lugar? ( kkkCoisas de mãe!!!!)


Chapeuzinho Vermelho e a vovó “moderninha’

- Pela estrada a fora eu vou bem sozinha... Peraí, estou bem sozinha mes­mo. Cadê os bichos? E as árvores?
Chapeuzinho estava mesmo sozinha, na floresta só se via destruição. Pa­rece que a floresta teve u ma “visitinha” indesejada e foi destruída. Ela então continuou:
- Ela mora longe e o caminho é deserto, e lobo mau passeia aqui por perto!
Coooooooooooooorta !!! E agora, cadê o lobo? Bom, vamos continuar sem ele me atacar.
Lá perto da casa da vovó havia uma casa linda, mas com telhas e tijolos, e estava saindo fumaça. Então ela berrou:
- Quem é o dono desta casa?
Então a vovó saiu com uma bandeja de carne de boi e perguntou:
- Quer churrasco, Chapeuzinho?
Chapeuzinho entrou e admirou a bela casa da vovó. No quarto dela estava o lobo, mas morto no chão e em forma de tapete. Chapeuzinho achou aquilo o cúmulo do absurdo e deu “um sermão” de meia hora na vovó, que prometeu nunca mais fazer isso, pois prejudica a natureza, os animais e a biodiversidade do planeta. 


                                                                       Parabéns filhota! Você é especial!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Planejamento de vida e carreira

Tenho sido colunista do jornal interno da faculdade UNINTER, de Curitiba. Na minha coluna escrevo sobre carreira. A proposta são artigos curtos, que informam e fazem refletir. Abaixo segue o último artigo do ano, onde falo sobre planejamento de vida e carreira...


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Dezembro combina com gentileza


Chegamos em Dezembro: Mês de Atos de bondade.
Dê uma flor. Encoraje um amigo. Visite um enfermo.
Dê uma boa gorjeta para o frentista. Convide alguém para lanchar com sua família. Doe sangue. Plante uma árvore.
Faça um café surpresa para os lixeiros. Abra a porta para alguém.
Telefone e ou mande uma mensagem para os lideres de sua igreja, para os amigos próximos e os distantes também...
Dirija com cortesia. Estacione no lugar certo. Compre os remédios da sogra. Lave seu copo. Celebre alguma coisa a cada dia.
De uma oferta para um missionário.
Perdoe. Abençoe quem lhe feriu.
Crie coragem pra procurar alguém que você quer que saiba que você a ama.
E não se assuste se a pessoa mais feliz com tudo isso for você!!!!!

O segredo do casamento duradouro


Este texto de Stephen Kanitz, chegou a mim através do Reinaldo Sln, em uma postagem que ele fez no facebook. É um pouco longo para o padrão das postagens que faço aqui, mas vale a pena pela reflexão que ele nos traz. Divirtam-se!




 O SEGREDO DO CASAMENTO

Meus amigos separados não cansam de me perguntar como eu consegui ficar casado trinta anos com a mesma mulher. As mulheres, sempre mais maldosas que os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo.

Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo.

Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário. Não sou um especialista do ramo, como todos sabem, mas, dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue.

Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade, já estou em meu terceiro casamento - a única diferença é que me casei três vezes com a mesma mulher. Minha esposa, se não me engano, está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes do que eu.

O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher. O segredo no fundo, é renovar o casamento, e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal. De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos, é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, voltar a se vender, seduzir e ser seduzido.

Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial? Há quanto tempo não fazem uma lua de mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção?

Sem falar nos inúmeros quilos que se acrescentaram a você, depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 quilos num único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo? Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo e a maquiagem. Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.

Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas. Muitas vezes não é sua esposa que está ficando chata e mofada, são os amigos dela (e talvez os seus), são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração. Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo círculo de amigos.

Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso. Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento. Mas, se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas, e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.

Não existe essa tal "estabilidade do casamento", nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos. A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma "relação estável", mas saber mudar junto. Todo cônjuge precisa evoluir, estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensando fazer no início do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, por que não fazer na própria família? É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo.

Portanto, descubra o novo homem ou a nova mulher que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo e interessante par. Tenho certeza de que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso, de vez em quando é necessário casar-se de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.

Stephen Kanitz é administrador por Harvard
http://www.kanitz.com.br/veja/segredo.asp