Como educadores, lancemos boas sementes...

.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Bate papo na Universidade Estadual de Minas Gerais ( UEMG)

Estive hoje á tarde, com alunas do curso de pedgogia da UEMG, conversando sobre "supervisão escolar". As alunas queriam saber tudo sobre a profissão:
como atuar, principais atribuições e características, habilidades necessárias para o cargo e principalmente:
sobre o mercado de trabalho!
Para decepção de muitas, esclareci que o supervisor escolar, nos dias atuais, é praticamente figura extinta.
Na rede pública não existe mais esta atribuição e na rede privada, tem sido substituída pelo cargo de coordenador pedagógico, que tem uma carga horária extensa e interminável e atribuições ilimitadas...
E o salário? Como todo cargo na áraea de educação, não tem lá muito "glamour"....
O grupo esclareceu as dúvidas, me recebeu com muito carinho e creio que a conversa serviu para nortear as decisões as ajudarão no rumo de suas escolhas profissionais.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Educação x Pobreza


Qual a relação entre a pobreza e a falta de educação em um país? O video abaixo intitulado, VIDA MARIA, retrata a pobreza e a falta de perspectiva de muitas pessoas no Brasil...EU CHOREI!
Vale a pena assistir e refletir.
Um filme emocionante, mas muito triste. É preciso lutar pela Educação no nosso país.
Você vai se emocionar com este video!



segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Educação, Afeto e limites


Estive ontem na Igreja Batista Lírio dos Vales, para ministar uma palestra aos pais com o tema:
Educação, afeto e limites
Criar filhos no sec XXI é um grande desafio! Surpreendeu-me o número de pessoas presentes: como podem ver na foto ao lado, a igreja estava bem cheia!
Isso vem mostrar o envolvimento e interesse destes pais por seus filhos. E ainda, como estão se sentindo perdidos e buscando contato com outros para trocar experiências e elaborar soluções.
Falamos sobre a nova família brasileira, segundo os dados recentes do IBGE.
Famílias, tradicionais, Famílias monoparentais, Famílias recasadas, Famílias ampliadas e Famílias não convencionais.
Destacamos o fenômeno da globalização e as pressões que ela nos traz, bem como suas repercussões para as relações familiares. Por último, falamos sobre as várias facetas da educação e dos cuidados que os pais devem dispensar aos filhos:
Cuidados físicos:
-Alimentação, sono, cuidados pessoais, sexualidade;
Cuidados afetivos:
- Construção da auto estima, através de elogios da pequenas conquistas, valorização das qualidades do seu filho, contatos físicos, como abraço, beijo etc.
Cuidados Pessoais e Sociais:
-Importância da delimitação de regras claras e colocação de limites. As regras sociais devem ser observadas e cumpridas, para que as relações com as pessoas sejam harmoniosas.É necessário também um monitoramento das amizades dos filhos, bem como estar atentos ao que eles estão tendo acesso,  principalmente através da internet.
Cuidados Cognitivos:
-Cuidar do intelecto do seu filho também faz parte dos cuidados essenciais. estimular a leitura, levá-lo em atividades culturais, conversar sobre atualidades e cultura geral.
Cuidados espirituais:
-Ler a bíblia, orar, envolver-se em atividades sociais, contribuir financeiramente.

Foi um momento muito rico e abençoado!
Agradeço a Sandra ( na foto ao lado) pelo convite, e ao pastor, pela confiança. Que Deus abençoe todas as famílias!

sábado, 12 de novembro de 2011

Casamento


Li uma postagem do pastor Jeremias Pereira no facebook, que encontrou ressonância no meu coração e me fez refletir muito sobre o casamento.
Ele falava sobre Janelas e paredes. 
Fiquei pensando que todo casamento precisa de janelas – espaços para contato com o mundo, amigos, familiares e estranhos. E precisa de paredes onde se mantém o segredo, a intimidade, a cortesia e o afeto exclusivo para o cônjuge, as confabulações sobre as fraquezas e decepções, as expectativas não alcançadas e as dores, as coisas íntimas do casal.

 É nas paredes que se exercita o perdão, a confidencialidade, a cumplicidade. Quando as paredes viram janelas o risco de adultério é intenso e o mesmo pode ocorrer a qualquer momento, pois, uma parede começa existir entre a pessoa e seu cônjuge. 

Se você estiver dividindo segredos do seu casamento com amigos ou amigas e não com o seu cônjuge... Tome cuidado!
O caminho, embora possa ser muito doloroso, mas é o mais honesto e  pode abrir caminhos de restauração é chamar e seu cônjuge e dizer das “janelas”que você abriu onde devia ter paredes.

(A figura de “janelas e paredes” foi criada pela Dra. Shirley P. Glass, psicóloga que investiu muitos anos estudando a infidelidade conjugal). 

Com orações por todos os bem casados e felizes, bem casados e chateados, os que estão vivendo um momento difícil no casamento, e os que precisam voltar a colocar parede, onde se abriu uma janela que não devia ter sido aberta.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Montando a árvore de Natal com minha filha

Ontem, eu e minha filha Paula, montamos nossa árvore de Natal. Na foto ao lado, vocês podem constatar que não é apenas convencimento ou corugisse:

Ela ficou linda mesmo!

Adoro esta época!  Recordo-me da minha infãncia, onde arrumávamos galhos naturais para montar nossa árvore de natal. Ás vezes colocávamos algodão, para simular a neve....( não tinha a menor semelhança, mas tudo bem!).
Houve um ano em que colamos bolinhas de isopor, daquelas bem pequenininhas, e achamos que ficou o máximo!
Hoje vejo que o que eu gostava mesmo era daquele afeto que envolvia a família na montagem dos enfeites natalinos. Somos cinco irmãos, e era aquela festa: bolar velas com laços e bolas coloridas, desenhar sinos e pendurar nas portas...
Era tudo tão simples, mas a gente achava tão bonito....
Montar a árvore com minha filha este ano (na verdade, vê-la montar, porque participei pouco) me fez reviver bons tempos e reafirmar em mim a beleza das relações familiares.
Laços a gente constrói no dia a dia. Não devemos deixar pequenos momento passar em branco.
A experiência foi uma delícia!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meu filho na final da Olimpída Bíblica do Colégio Batista

Aconteceu hoje, as 7:00 horas da manhã, a final da olimpíada Bíblica do Colégio batista Mineiro.
Abaixo, os 5 finalistas ( o que está com a mão no queixo é o meu filho!) aguardando a chegada dos alunos no auditório do Colégio.


A disputa foi acirrada e meu filho se saiu muito bem, mas, a vez foi mesmo das mulheres!

Stefany levou o primeiro lugar.
 Meu filho ficou em segundo.

Acredito que chegar a uma final, em uma escola que tem tantos alunos, faz de todos eles grandes vencedores! Parabéns a todos e ao Colégio, porque o evento foi muito bem organizado e as perguntas bem inteligentes.

Nesta outra foto, Stefany, que tirou o primeiro lugar, meu filho, que ficou em segundo, e o André, que ficou em terceiro, exibindo os prêmios que ganharam.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Congresso de Mulheres


Aconteceu no sábado, o Congresso de mulheres da Igreja Presbiteriana. Fui convidada para dar uma palestra para as mulheres sobre os desafios que a modernidade nos impõe.
Estiveram presentes várias mulheres, de idades variadas! Conversamos sobre as pressões ás quais somos submetidas cotidianamente.Destacamos alguns desafios a serem transpostos:
Pressão estética- temos que ser magras, bonitas, jovens, arrumadas...Isso é pura ilusão! Todo mundo envelhece, todo mundo engorda, enfim, todo mundo é humano.
Pressão por qualificação e sucesso profissional- somos pressionadas a trabalhar fora, estarmos sempre á frente dos homens, mostar competência... o trabalho fora de casa é visto como a única forma de se obter independência e sucesso. Isso não é verdade. Podemos ser felizes de várias maneiras. É possível às mulheres que não trabalham fora, serem felizes e se sentirem bem sucedidas.
Vimos as repercussões da globalização na vida das famílias, no mercado profissional e destacamos grandes desafios mundiais no combate á discriminação contra a mulher.
Destacamos três pontos principais,segundo a ONU, que carecem de políticas públicas;
A violência doméstica, a mutilação das mulheres na África e o poder de decisão da Mulher.
Destacamos o perfil de algumas mulheres na Bíblia, que nos ensinam muito com suas atitudes.
Com Ana aprendemos a ter mais fé; com Rute aprendemos a ser companheiras leais e amigas; com a mulher que tinha um fluxo de sangue aprendemos a ter persistência e com Maria aprendemos a ter submissão total a Deus.
Ao final foi servido um delicioso lanche!
Agradeço pelo convite. Foi muito bom "bater este papo" com estas mulheres!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Sobre livros e apegos

ADORO LIVROS!  Sou leitora compulsiva. Leio tudo: jornal, revista, livro, dicionário, panfleto, folder, bula e manual de instruções. Não pense que estou mentindo. Eu não resisto a um conjunto de letrinhas...
Demorou, mas há pouco percebi: eu não releio rigorosamente nada. Lido, está lido. Sempre quero novidade. Rumino as idéias, mas não releio os escritos.
Talvez lá no fundo da mente algo me alerte ao pouco tempo que terei para ler todos os livros, ver todos os filmes, visitar todos os lugares. Portanto, ler novamente uma história, não cabe.
Então porque tenho este apego a eles? Antes de fazer o comentário abaixo, já vou avisando que vou me contradizer. Vivo dizendo ( inclusive no post que fiz aqui, intitulado "Aliviando a bagagem") que não devemos guardar as coisas que não são mais úteis ou que são demais. Mas tenho que me confessar:
A minha casa não cabe mais tantos livros! Inevitavelmente que, com esse grande amor pelos livros, eles fossem sendo acumulados e apertados em estantes pela casa.
Não gosto de emprestá-los, mas se não vou relê-los, porque guardá-los?
Eu tenho uma amiga que marca os livros, com um marcador super "chic". Ela perfura a página, com a letra inicial do seu nome. A marca fica parecendo um "brasão real". Coisa fina....Eu sempre quis ter um.
Outra amiga me confidenciou que anota o nome das pessoas a quem ela os empresta ..."É pra não esquecer com quem está!", ela se justifica..
Aí vem uma amiga minha e me diz que empresta todos os seus livros. Não sabe pra quem, não sabe com quem estão. Ela disse que o conhecimento é pra circular....E que se não voltarem, farão bem a alguém. 
Concordei com ela! Pra que tanto apego assim? Se não vou reler, pra que reter? É bom abrir espaço para novas publicações na estante, uma vez que nunca consigo ler uma obra de cada vez. Preciso ler vários livros ao mesmo tempo. De preferência, de áreas diferentes.
Não pensem que por dentro está tudo resolvido. "Agora vou doar meus livros, emprestar e ponto final."
Tudo faz parte de um processo. Estou começando a mudar minha forma de pensar. Acho que vou dar alguns livros para amigos conhecidos, pois se o arrependimento bater, pego de volta....Alguém aí se canditada?