Como educadores, lancemos boas sementes...

.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Lançamento da Revista: Inculturação Salesiana

Foi lançada, no sábado dia 18 de outubro, a Revista "Inculturação Salesiana". Na foto ao lado, todos com a revista na mão, comemorando esta grande conquista conosco.

Senti uma emoção enorme, pois participei como editora chefe e acompanhei toda a edição de perto. Vê-la concretizada foi motivo de grande alegria. 

O irmão Manoel, articulador Inculturação também se envolveu em todos o processo, bem como o Padre Geraldo Adair, articulador anterior. Sem contar a Comissão de Inculturação da Inspetoria, que contribuiu
muito, possibilitando o aprimoramento da proposta.

A ideia de publicar uma revista sobre a Inculturação salesiana nasceu do desejo de tornar públicas as ações da Inspetoria São João Bosco em torno da promoção da Igualdade étnico-racial. Tem por objetivo relatar as práticas, informar as pessoas sobre a temática, socializar reflexões, conquistas e reconhecimentos.

A revista foi organizada de forma dinâmica em várias seções.  Isto nos possibilita envolver vários segmentos da ação educativa: educandos, educadores, especialistas, pais, colaboradores, etc.
Nesta edição comemorativa, tivemos uma entrevista com o jogador Tinga, que recebeu a revista em sua casa para falar sobre o racismo do qual foi vítima em um jogo no Peru. Ele está comigo na foto ao lado. Falamos de Projetos desenvolvidos, sugerimos ações práticas, indicamos filmes e leis para reflexão. Há artigos sobre direitos humanos, preconceito, a lei 10.639 e muito mais! A Revista ficou um espetáculo!

A orientação é multiplicar as ideias e fazê-las circular. Por isso, as pessoas foram encorajadas a ler a revista e passa-la adiante. Todos deverão fazer um “self” ao passar a revista a alguém. Na foto ao lado, fizemos o nosso ao entregaremos a revista ao visitador de Roma, Padre Natali Vitali, que representa o Reitor Mor dos Salesianos.
Todos deverão postar seus Selfs na página do facebook da Inspetoria São João Bosco, sinalizando o que mais gostou na revista.







Queremos compartilhar com todos, a nossa experiência e convicção de que é possível desenvolver um trabalho pautado na ética, na igualdade e que respeite a dignidade e a diversidade cultural. Na foto ao lado, os queridos amigos e apoiadores Pe Geraldo, Pe Anselmo e Beatriz.

Combater o racismo é papel de todos nós!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Feliz dia do Professor!

Sabe quando você lê um texto, e gosta tanto, tanto, que dá vontade de ler de novo, e reler e reler e reler? Pois é. Aconteceu comigo quando li este texto do meu amigo, Thiago De Lazzari, de quem sou fã. E, ao invés de fazer uma homenagem com um texto meu, vou me valer do texto dele. Parabéns professores: vocês são meus heróis!!!


O Professor, não é um herói.

Por Thiago De Lazzari-
Coordenador de Marketing e TI do Colégio Dom Helvécio em Ponte Nova
Sangra, tem fome
Tem mãe doente,
Tem fatura de cartão
Escoliose, depressão
Ama, sorri e morre.
O Professor não é um herói.
Nem um ícone a ser louvado.
E pouco importa se no Japão ele é o único que não se curva frente ao imperador.
O professor sente dor. E muitas vezes (muitas) usando a voz pra trabalhar
Disfarça um nó na garganta.
O Professor não é um herói.
As dificuldades costumam ser cumulativas
E sedimentando ano a ano uma maré de sentimentos
no final, dorme pouco, pensa muito e se aposenta.
Daí, em um passeio matinal, ele encontra advogado, médico, economista.
Engenheiro, psicólogo... E uma frase comum: - Lembra de mim? Fui seu aluno!
Tão bom quanto qualquer contra cheque gordo! E apesar das mágoas, um sorriso no rosto.
Agora, o arrepio na alma, vem quando inadvertidamente, ele reconhece um aluno específico e lhe pergunta a profissão.
- Também sou professor!
Aí sim, a felicidade adoça o dia.
Definitivamente o professor não é um herói.
Mas é o mais perto que se chega pra se transformar em um..