Como educadores, lancemos boas sementes...

.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Como escolher a escola do seu filho?

O fim do ano chegou e muita gente ainda não escolheu a escola que seu filho vai estudar ano que vem. Fui procurada pelo jornalista Pablo Andrade, do jornal Popular de Goiânia e dei uma entrevista sobre o tema.
Confira abaixo:

- Qual a principal dificuldade dos pais no momento de escolher a escola dos filhos?
Encontrar uma escola "ideal" é o sonho de todo mundo. Infelizmente, nem todos a encontram.Muitas vezes os pais encontram a escola que gostariam, mas não podem pagar por ela. Outras vezes, a escola que cabe no orçamento, não tem todos os atributos que eles gostariam que ela tivesse. Ainda podemos citar o fato de os pais não dominarem as questões acadêmicas. A tendência dos pais é buscar uma escola próxima ao modelo de educação no qual eles foram educados. O que eles conhecem sobre escola é o que vivenciaram no passado. No século XXi, nós podemos identificar muitas mudanças nos paradigmas educacionais. as vezes é complicado para os pais acompanhar estas mudanças.

- É importante que eles analisem as linhas pedagógicas que a escola segue (tradicional, construtivista e outras)?
A linha pedagógica adotada pela escola mostra os valores que ela tem, a sua cara, o que será cobrado dos alunos e das famílias e principalmente como será cobrado. Pais que primam por uma educação mais rígida, devem colocar seus filhos em escolas de linha tradicional. Pais que buscam uma educação mais voltada para a autonomia, devem buscar uma escola de linha construtivista. A proposta pedagógica da escola vai sinalizar aos pais o tipo de comportamento que se espera dos filhos e da família também.

- Antes de escolher a escola, os pais devem também se questionar sobre alguns posicionamentos, conceitos próprios, como por exemplo, se a família tem um perfil mais conservador ou liberal? Enfim, uma auto-análise é importante nessa situação?
Com certeza! Quanto mais clareza os pais tiverem sobre seus valores e sua moral, mais acertaraão na escolha da escola "ideal" para sua criança. Uma família que não crê em Deus, por exemplo, pode ter muito mais aborrecimentos ao colocar sua criança em uma escola confessional, onde será assumidamente disseminado valores cristãos. O contrário também seria bem desastroso. Quanto mais afinados estiverem os valores da instituição com os valores da família, melhor será esta relação no futuro.

- De que maneira os pais podem se sentir tranquilos quanto ao modo como a escola se preocupa com questões como ética, diversidade étnica, opção sexual, pessoas com necessidades especiais?
É importante que os pais questionem abertamente a direção da escola ao serem atendidos, no momento em que vão conhecer a escola. Desconfie de respostas evasivas, que não se posicionam claramente. Se uma escola diz que é inclusiva, por exemplo, peça para que o atendente relate algum caso concreto de inclusão, ou cite a que tipo de necessidade especial aquela escola está atendendo naquele ano. Preste atenção nos espaços escolares, se possibilitam acessibilidade e mobilidade.
 A transparência  é um ótimo indício de trabalho ético e preocupado com a formação dos valores essenciais.

- Como as escolas e os pais devem trabalhar a questão da autoridade? É melhor que a escola siga o modo como os pais encaram essa questão? Por exemplo, sobre o grau de autonomia para a criança tomar decisões, ou se ela é ouvida em decisões familiares.

Conforme já comentamos em uma pergunta anterior, os pais devem procurar uma escola que esteja afinada com os seus valores e crenças. A escola tem sua forma de se posicionar quanto as questões ligadas a hierarquia e autoridade. As famílias, por sua vez, também tem suas convicções. Havendo "choque" entre as posturas e pensamentos, o ideal é tentar negociar e dialogar. Caso não haja entendimento é melhor mudar de escola ou se submeter.

- Alguns pais podem se prender a apenas analisar os resultados do Enem para escolar uma escola para o filho. Esse corre o risco de fazer uma análise superficial? Por que?


O resultado do ENEM é um indicador de aprendizagem. Bons resultados indicam que houve um bom trabalho e principalmente , que houve uma boa aprendizagem. Mas, não garante que houve um bom trabalho também  nas outras áreas do desenvolvimento humano, como por exemplo, valores essenciais, meio ambiente, cidadania, etc.
Pode ser que uma escola que tem bons índices no ENEM e até em alguns vestibulares, seja uma escola onde se fomenta muito a competição entre os alunos, onde se exclui aqueles que não são " brilhantes", onde a auto estima do aluno é destruída porque ele não alcançou boas notas. É importante olhar os índices do ENEM sim, porém o ideal é olhar o conjunto de ações da Instituição e não somente os números.

- Hoje o objetivo de um estudante é se preparar para passar no vestibular. Muitas escolas oferecem isso como o principal atrativo, deixando de lado um pouco a formação do cidadão. Qual sua opinião sobre isso?
Eu não vou dizer que uma educação de qualidade não é aquela que pensa no mercado de trabalho ou na continuidade dos estudos, como o ingresso na universidade, por exemplo. Sou mãe de duas lindas crianças e quero que elas sejam bem sucedidas e isto inclui um bom emprego e uma boa universidade.
Porém, eu penso que as escolas tem que preparar os alunos para enfrentar todos os desafios da vida. Isto inclui um trabalho voltado para a parte cognitiva, mas também a afetiva, social, ambiental, etc. Só se dará bem no futuro a pessoa que se preocupar em articular conhecimento, relações interpessoais, comportamento ético e preocupação com meio ambiente.

- E a formação dos professores? Os pais também devem se atentar a isso? Até mesmo se a escola dá condições de capacitação continua de seus profissionais? Isso é possível, existe tanto em instituições privadas ou públicas?
Uma escola que não investe na formação constante de seus professores, não está comprometida com a qualidade do ensino. Em um mundo em constante transformação, onde as verdades científicas mudam com muita velocidade, é fundamental que os professores estudem e repensem constantemente suas práticas.
A formação continuada dos professores é fundamental, na rede pública quanto particular. Hoje em dia, há muitas políticas públicas focadas tanto na formação continuada quanto na formação inicial. O Brasil é um país muito grande e ainda há locais onde os professores não tem nenhum tipo de graduação. O ensino a distância tem alcaçado muita gente.  As novas tecnologias podem ajudar também nos programas de formação.
O que o professor não pode deixar de fazer é estudar constantemente.


quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Surpresa agradável

Esta semana me aconteceu algo que provocou em mim dois sentimentos: felicidade extrema e vergonha exagerada.
Eu fui fazer compras de supermercado, sacolão, e coisinhas mais. Ao chegar em casa, exausta e com mil sacolas para retirar do carro, já comecei com um sentimento de desconforto e irritação.
Ai meu Deus, subir com tudo isto, neste calor! Mas, como ainda não invetaram sacolas com pernas e que adam sozinhas, executei a tarefa.

Chegando à porta de entrada, logo gritei o nome do meu filho, de 15 anos ( o bonitão aí da foto), e pedi a ele que me ajudasse a acabar de carregar tudo para a  cozinha. Quando chegamos lá eu disparei com as murmurações:
-"Nossa, quanta coisa pra guardar! E ainda por cima vou ter que reorganizar o armário e a geladeira, porque da forma que estão, não vai caber estas compras não!"
Meu filho me observava e imediatamente pegou no meu ombro com as duas mãos, olhou pra mim e me disse carinhosamente:
- Mãe, deixa que eu te ajudo. E , ao invés de tanta braveza, vamos agradecer a Deus porque nosso armário e nossa geladeira estão cheios.
Ao ser surpreendida desta forma, meu rosto corou de vergonha. Eu, que sempre ensinei tantas coisas a ele, agora, na hora de praticar, cometo este deslize infantil, básico.
Mas, ao mesmo tempo, meu coração se encheu de alegria, porque ouvir isto do seu filho, mostra que a semeadura não foi em vão, que frutos nasceram, que as sementes foram boas e produtivas.
E aí meu coração se encheu de gratidão. Não pelo armário ou pela geladeira, mas pelo filho que Ele me deu!
Nestes dias onde nos preparamos para receber um novo ano, cultivemos um coração grato a Deus por tantas benção recebidas ao longo de nossa vida.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Empresa responsável

Ao acordar hoje pela manhã e perceber que o mundo não havia acabado com previam os maias, resolvi dar um "up" no visual para o natal. Fui ao salão e dei uma faxina geral: unha do pé, unha da mão, sombrancelha, depilação, pintei o cabelo e fiz uma hidratação profunda.
Fiquei a manhã toda investindo na beleza, mas todo mundo sabe que a beleza tem um custo. Ainda mais que escolhi um salão onde tudo é de muita qualidade. Eu atravesso a cidade ( moro no São Lucas e frequento o salão matriz da Socila, na José Cândido da Silveira) para fazer a sombrancelha com a Andriene, que faz um trabalho que nunca vi igual.
Lá também há muitas manicures, uma pega o seu pé, outra a mão e rapidinho vc resolve tudo. E, se vc resolver que vai pintar, escovar, inovar, mesmo sem ter hora marcada eles dão um jeito de te encaixar e te atender.
Pois bem, quando eu estava na reta final, assentada na cadeira para secar o cabelo, um funcionário percebeu uma coisa: minha blusa estava com uma mancha de tinta no ombro. A cabeleireira deve ter se descuidado, ou eu mesma ao me assentar no lavatório. E aí ele me perguntou se a minha blusa era nova- e era!
Rapidamente todos começaram uma movimentação. Trouxeram toalhas, sprays, recomendaram um tira manchas, mas não teve jeito. A mancha não saía de jeito nenhum.
Então veio a dona do salão e me perguntou:
-Quanto custou sua blusa?

Minha reação foi imediata:
-Não se preocupe com isto não, pois erros acontecem.

Ela insistiu em dizer que eu não pagaria pelos erros do salão e por fim pegou minha comanda e disse que hoje eu não pagaria NADA. Tudo o que fiz seria um presente, que eles eram uma empresa que primam pela qualidade e que ela arcaria com a responsabilidade pelo que aconteceu.

Eu fiquei surpresa e inconformada, argumentei, disse que não era justo, mas ela não abriu negociação: eu faço questão e vc não vai pagar nada. E ainda emendou: "eu gostaria de te pedir desculpas e te agradecer por sua educação. As pessoas aqui costumam exigir a blusa, xingar, dizer horrores. Você é muito educada. obrigada"
Gente, eu estou estarrecida até agora com a atitude dela. Com tantos salões por aí, você tem mesmo que oferecer diferenciais para fidelização dos seus clientes. Atendimento é tudo no século XXI.
Agora entendo porque a Socila não para de crescer, porque lá está sempre cheio. Eles conseguiram me surpreender e me encantar.

Quer ficar bonita, ser bem tratada e ter um serviço de qualidade? Vá ao Socila! Acesse o site e procure a unidade mais próxima de você!
http://www.salaosocila.com.br/

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Artigo publicado no Jornal Ana Lucia


Confira o artigo da minha coluna deste mês, publicado no jornal Ana Lucia. Todas as situações me foram relatadas por amigos e são verdadeiras. Vá para a ceia disposto a se confraternizar e tome cuidado pra não colecionar desafetos neste natal...


Enfim chegou o Natal!
Por Priscila Pereira Boy- Pedagoga- Mestre em Educação 
www.priscilaboy.blogspot.com             priscilaboy@terra.com.br

O fim do ano se aproxima e as festas natalinas são esperadas por muitos. Momento de reunião de família. É fato que algumas pessoas fazem isto por mera tradição, porque não querem contrariar a tradição, mas muita gente gosta de se reunir. Afinal, é a chance de ter todo mundo junto, trocar presentes, desejos de sucesso e felicidade...
Mas, viver e conviver é algo difícil. Ao final, qual a lembrança que ficou da festa de fim de ano? Maior intimidade ou novas feridas?
As vezes, o desconforto está à mesa. Foi aquela irmã que exagerou no tempero do peru, ou que encheu de maionese a salada, a outra picou cebola e colocou pimenta, na farofa!  Uma se tornou vegetariana e acha um absurdo a quantidade de carne na ceia...
Percebemos que nossos gostos gastronômicos mudaram, porque agora somos de outra família, temos nossa própria casa e nosso próprio cardápio.
Há o famoso “amigo oculto”, onde você dá aquele presente, e ganha aquele presente. Isso traz chateação a muitos, porque se sentem desprezados e injustiçados, ao invés de homenageados. E aí o objetivo de confraternização se perde, no valor material que costumamos dar àquilo que recebemos como presente.
E, ainda sobre amigos ocultos, tem também a descrição da pessoa, que é feita sem nenhuma dose de sabedoria ou clemência: “O meu amigo oculto está um pouco acima do peso”, “ a minha amiga oculta fala demais!” e por aí vai.
E, com tantos desacertos, as pessoas saem das festas mais chateadas do que felizes. Há algumas que acham que a solução é mudar o local onde passam o natal, ou de família, talvez. Mas acho que não vai adiantar muito. Independente do lugar, as pessoas são diferentes umas das outras, com suas próprias opiniões, gostos, atitudes, que infelizmente não são as mesmas das nossas! A diversidade é um grande desafio, por isso é tão difícil a convivência.
Aprenda a cultivar a tolerância, a aceitação, a generosidade, a bondade , o amor para com as pessoas que o cercam. Encontros assim são ótimas oportunidades para estarmos perto de quem amamos, aceitando-os como são.
Família bonita mesmo é só na fotografia. Mas, mesmo com todos os "desgastes" da convivência, aposto nas relações humanas. São elas que nos lapidam, nos ensinam a aceitar a diversidade e nos permitem exercitar os frutos do Espírito.: paciência, longanimidade, amor, domínio próprio, alegria, paz e benignidade .
Apesar de todos os desafios, tenham todos um FELIZ NATAL!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Oficina de jogos no Colégio Maximus

Estive hoje no Colégio Maximus, fazendo uma oficina de jogos com as educadoras. Tivemos a oportunidade de conhecer  jogos que trabalham algumas competências e habilidade essenciais aos pequenos educandos.
Jogos que trabalham o raciocínio lógico matemático, como jogo da pipoca, o trabalho com gráficos de preferências, jogos para trabalhar consciência fonológica, aliteração, rimas, etc.
Um grupo bem interessado, que fez anotações e perguntas interessantes.
Foi um momento pequeno, mas deu pra conhecer um pouco as educadoras e ver como querem crescer e melhorar seu trabalho a cada dia.
Agradeço pelo convite e desejo um bom descanso e muito sucesso a todos no ano de 2013!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Palestra aos pais na UMEI Granja de Freitas



Á convite da diretora Ionara, com quem estou na foto ao lado, estive ontem, de manhã e a tarde, na UMEI Granja de Freitas, em BH, onde ministrei palestra aos pais sobre o meu novo livro:
"Afinal, quem manda nesta casa?".
Conversamos sobre o papel da familia e a necessidade de uma parceria constante com a escola.
A participação dos pais presentes foi muito boa e eles fizeram intervenções com comentários e perguntas.

Após a palestra, foi servido um delicioso chá com bolo e todos puderam se confraternizar.
Ações que envolvem a família são fundamentais para o sucesso escolar do aluno.
É preciso entender que escola e famíia são forças complementares e não forças opositoras.
Há interesse em aprender mais sobre como educar os filhos. A comunidade precisa ser envolvida neste processo!

Agradeço o convite e a oportunidade de estar com todos neste dia.

Entrevista sobre Sisu para o Globo Educação

Concedi entrevista para o portal Globo Educação. A entrevista foi publicada na sexta feira passada.
Conversamos sobre como funciona o sistema do Sisu  ( Selção Unificada das Universidades Federais) e falamos um pouco sobre o ENEM, processo que mobiliza muitas pessoas e que vale uma vaga nas Universidades.

Confira a reportagem no link abaixo:
http://redeglobo.globo.com/globoeducacao/noticia/2012/09/sistema-de-selecao-unificada-sisu-busca-democratizar-ensino-superior.html

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Participação no Programa Brasil da Gerais

Estive no Programa Brasil da Gerais , da apresentadora Roberta Zampetti.
Conversamos sobre os desafios dos pais na educação dos filhos.
Foi uma rica oportunidade para falar melhor sobre a abordagem do meu novo livro

Afinal, quem manda nesta casa?
Educando filhos nos dias atuais.

Roberta sempre muito simpática e nos deixou bastante á vontade.
Participaram comigo o psicanalista Carlos Ávila, que me presenteou com seu livro: Pai, estou te observando, a "Coach" de famílias Karina Chamone ( viste o site dela: http://www.metacoaching.com.br/coaching_familias/index.html) e a Psicóloga Barbara Romaneli.

Falamos muito sobre limites, omissões, formas de agir, terceirização na educação dos filhos.

Foi uma delícia fazer este bate papo no Programa. Se vc deseja adquirir meu livro, passe-me um e-mail:
priscilaboy@terra.com.br





sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Encontro de pastores da Convenção Batista


Estive ontem, em um sítio em contagem, dando uma palestra no Encontro de pastores da Convenção Batista. Havia mais ou menos uns 60 pastores, de BH e do interior.
Eles se reúnem todos os anos para se reciclar, buscar a Deus e trocar experiências novas. O encontro começou na terça feira e terminará na sexta.

O tema da minha palestra foi:
" O pastor, a família e a igreja".

Procuramos nos concentrar naquilo que as mulheres esperam dos maridos.
Vimos que elas querem atenção, fidelidade, querem ser amadas , desejadas e querem ajuda nos afazeres do lar. Querem um provedor, um homem que assuma sua masculinidade e liderança.
Dividimos a palestra em três partes:

1- O que as mulheres esperam dos homens
2- O que as mulheres cristãs 
( esposa de pastor) esperam dos homens
3- O que Deus espera dos homens

Para identificar o item 1, consultamos várias pesquisas Internacionais. O item 2 foi obtido por meio de pesquisa estruturada e entrevistas com esposas de pastor e o item 3 foi abordado á luz de Efésios 5 e I de Pedro 3.
Vimos que há várias influências nas nossas expectativas e destacamos três delas: a cultura, a criação e o temperamento.
E foi lindo identificar que, para cada ordenança que Deu faz ao homem sobre como agir no lar, Ele colocou uma expectativa no coração da mulher para receber  aquela ordenança. Veja o quadro abaixo:


O que Deus
espera
O que as mulheres esperam
Amar
Ser amadas
Alimentá-la
Provisão
Cuidar
Atenção
Uma só carne
Ser desejada



Foi um momento muito precioso estar alí com aqueles homens de Deus. Agradeço pelo convite e pela confiança!

Encontro de casais na pampulha


Estive, no último sábado, em um sítio na Pampulha, onde aconteceu o encontro de casais da Igreja Presbiteriana Jardim Laguna.
Muitos casais estavam ali, todos ávidos por aprender mais sobre como melhorar as relações familiares.
Minha palestra destacou o papel de cada um no lar, baseado na bíblia, no texto de efésio 5 e I Pedro 2.
Vimos que a família espelha a relação de Deus conosco onde Jesus é comparado ao noivo e a igreja à noiva.
O papel do marido é amar sua esposa, assim como Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela. À esposa cabe submeter-se e respeitar o seu marido. Aos filhos cabe a obediência e a honra.

Se cada um fizer o que Deus nos ordenou é certo que a harmonia vai reinara na sua casa! Ao final, ganhei flores e foi servido um delicioso feijão tropeiro!
Todos puderam se confraternizar.
Agradeço ao pastor Eliézer e sua esposa Cláudia pelo convite e pela confiança.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Igreja Batista Lirio dos Vales- Manhã e noite

Estive, no domingo pela manhã e também no culto á noite, na Igreja Batista Lirio dos Vales.
Pela manhã, falei sobre o meu livro:
Afinal, quem manda nesta casa?

Conversamos sobre os desafios de criar filhos no seculo XXI.
São muitas coisas nas quais devemos prestar atenção:
Alimentação, sono, higiene pessoal, sexualidade.
Devemos promover um horário de estudo, incentivar e fazer leituras com os filhos, frequentar atividades culturais, falar sobre atualidades.
Cultivar a vida espiritual do filho também é um aspecto fundamental da educação. Ensinar a Bíblia, incentivar as contribuições voluntárias e as ações sociais.
A construção da auto estima também se constitui aspecto importante. Elogiar, descobrir os talentos dos filhos, abraçar, beijar.
Á noite conversamos sobre o papel de cada membro da família: o pai, a mãe e os filhos. baseado em Efésios,5, destacamos que, se cada um fizer seu papel, o lar será harmonioso e feliz.
Ao final, vendi muitos livros! E fui tratada , como sempre, com muito carinho.
Agradeço muito pelo convite e confiança.