Como educadores, lancemos boas sementes...

.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Como escolher a escola do seu filho?

O fim do ano chegou e muita gente ainda não escolheu a escola que seu filho vai estudar ano que vem. Fui procurada pelo jornalista Pablo Andrade, do jornal Popular de Goiânia e dei uma entrevista sobre o tema.
Confira abaixo:

- Qual a principal dificuldade dos pais no momento de escolher a escola dos filhos?
Encontrar uma escola "ideal" é o sonho de todo mundo. Infelizmente, nem todos a encontram.Muitas vezes os pais encontram a escola que gostariam, mas não podem pagar por ela. Outras vezes, a escola que cabe no orçamento, não tem todos os atributos que eles gostariam que ela tivesse. Ainda podemos citar o fato de os pais não dominarem as questões acadêmicas. A tendência dos pais é buscar uma escola próxima ao modelo de educação no qual eles foram educados. O que eles conhecem sobre escola é o que vivenciaram no passado. No século XXi, nós podemos identificar muitas mudanças nos paradigmas educacionais. as vezes é complicado para os pais acompanhar estas mudanças.

- É importante que eles analisem as linhas pedagógicas que a escola segue (tradicional, construtivista e outras)?
A linha pedagógica adotada pela escola mostra os valores que ela tem, a sua cara, o que será cobrado dos alunos e das famílias e principalmente como será cobrado. Pais que primam por uma educação mais rígida, devem colocar seus filhos em escolas de linha tradicional. Pais que buscam uma educação mais voltada para a autonomia, devem buscar uma escola de linha construtivista. A proposta pedagógica da escola vai sinalizar aos pais o tipo de comportamento que se espera dos filhos e da família também.

- Antes de escolher a escola, os pais devem também se questionar sobre alguns posicionamentos, conceitos próprios, como por exemplo, se a família tem um perfil mais conservador ou liberal? Enfim, uma auto-análise é importante nessa situação?
Com certeza! Quanto mais clareza os pais tiverem sobre seus valores e sua moral, mais acertaraão na escolha da escola "ideal" para sua criança. Uma família que não crê em Deus, por exemplo, pode ter muito mais aborrecimentos ao colocar sua criança em uma escola confessional, onde será assumidamente disseminado valores cristãos. O contrário também seria bem desastroso. Quanto mais afinados estiverem os valores da instituição com os valores da família, melhor será esta relação no futuro.

- De que maneira os pais podem se sentir tranquilos quanto ao modo como a escola se preocupa com questões como ética, diversidade étnica, opção sexual, pessoas com necessidades especiais?
É importante que os pais questionem abertamente a direção da escola ao serem atendidos, no momento em que vão conhecer a escola. Desconfie de respostas evasivas, que não se posicionam claramente. Se uma escola diz que é inclusiva, por exemplo, peça para que o atendente relate algum caso concreto de inclusão, ou cite a que tipo de necessidade especial aquela escola está atendendo naquele ano. Preste atenção nos espaços escolares, se possibilitam acessibilidade e mobilidade.
 A transparência  é um ótimo indício de trabalho ético e preocupado com a formação dos valores essenciais.

- Como as escolas e os pais devem trabalhar a questão da autoridade? É melhor que a escola siga o modo como os pais encaram essa questão? Por exemplo, sobre o grau de autonomia para a criança tomar decisões, ou se ela é ouvida em decisões familiares.

Conforme já comentamos em uma pergunta anterior, os pais devem procurar uma escola que esteja afinada com os seus valores e crenças. A escola tem sua forma de se posicionar quanto as questões ligadas a hierarquia e autoridade. As famílias, por sua vez, também tem suas convicções. Havendo "choque" entre as posturas e pensamentos, o ideal é tentar negociar e dialogar. Caso não haja entendimento é melhor mudar de escola ou se submeter.

- Alguns pais podem se prender a apenas analisar os resultados do Enem para escolar uma escola para o filho. Esse corre o risco de fazer uma análise superficial? Por que?


O resultado do ENEM é um indicador de aprendizagem. Bons resultados indicam que houve um bom trabalho e principalmente , que houve uma boa aprendizagem. Mas, não garante que houve um bom trabalho também  nas outras áreas do desenvolvimento humano, como por exemplo, valores essenciais, meio ambiente, cidadania, etc.
Pode ser que uma escola que tem bons índices no ENEM e até em alguns vestibulares, seja uma escola onde se fomenta muito a competição entre os alunos, onde se exclui aqueles que não são " brilhantes", onde a auto estima do aluno é destruída porque ele não alcançou boas notas. É importante olhar os índices do ENEM sim, porém o ideal é olhar o conjunto de ações da Instituição e não somente os números.

- Hoje o objetivo de um estudante é se preparar para passar no vestibular. Muitas escolas oferecem isso como o principal atrativo, deixando de lado um pouco a formação do cidadão. Qual sua opinião sobre isso?
Eu não vou dizer que uma educação de qualidade não é aquela que pensa no mercado de trabalho ou na continuidade dos estudos, como o ingresso na universidade, por exemplo. Sou mãe de duas lindas crianças e quero que elas sejam bem sucedidas e isto inclui um bom emprego e uma boa universidade.
Porém, eu penso que as escolas tem que preparar os alunos para enfrentar todos os desafios da vida. Isto inclui um trabalho voltado para a parte cognitiva, mas também a afetiva, social, ambiental, etc. Só se dará bem no futuro a pessoa que se preocupar em articular conhecimento, relações interpessoais, comportamento ético e preocupação com meio ambiente.

- E a formação dos professores? Os pais também devem se atentar a isso? Até mesmo se a escola dá condições de capacitação continua de seus profissionais? Isso é possível, existe tanto em instituições privadas ou públicas?
Uma escola que não investe na formação constante de seus professores, não está comprometida com a qualidade do ensino. Em um mundo em constante transformação, onde as verdades científicas mudam com muita velocidade, é fundamental que os professores estudem e repensem constantemente suas práticas.
A formação continuada dos professores é fundamental, na rede pública quanto particular. Hoje em dia, há muitas políticas públicas focadas tanto na formação continuada quanto na formação inicial. O Brasil é um país muito grande e ainda há locais onde os professores não tem nenhum tipo de graduação. O ensino a distância tem alcaçado muita gente.  As novas tecnologias podem ajudar também nos programas de formação.
O que o professor não pode deixar de fazer é estudar constantemente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário