Como educadores, lancemos boas sementes...

.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

É preciso deixar ir

Há momentos na vida em que nos encontramos em uma encruzilhada. O caminho que decidimos seguir vai determinar onde vamos chegar. Nesta hora é necessário parar, pensar com calma e fazer um balanço. Ver o que foi bom, aprender com os erros, avaliar os fracassos e agradecer a Deus as vitórias. Aquilo que não presta, deixar ir.

Às vezes, até mesmo, desistir de algumas coisas.
Quem não desiste? De fazer algo, de chegar em algum lugar, de levar adiante uma ideia que parece não ter futuro? Dietas, promessas, decisões para as quais faltou tempo, paciência, planejamento. Desistimos quando entendemos que alguma coisa é inatingível, arriscada ou simplesmente não vale a pena.

Tem muita coisa que guardamos por medo de largar, de permitir que saia de perto de nós. É uma tristeza, um arrependimento, uma saudade por alguém, um emprego, por algum momento, que não quer ou não pode voltar. As lembranças doídas, os projetos falidos, as relações desgastadas, as decepções com as pessoas...Deixe ir!

Chega um momento em que é hora de rever, fazer faxina, na mente e no coração. Sacudir o pó dos pés, levantar os tapetes e tirar de lá essas lembranças que viraram pó e só fazem atrapalhar o horizonte que se coloca diante de nós. Guarde as boas lembranças. O resto? Deixe ir!

Desapego é um pequeno parto que fazemos, tirando de nossas entranhas ou proximidades coisas que parecem vitais e, na verdade… não são.
É hora de pensar em mudar atitudes, investir em pequenos movimentos que podemos fazer para mudar o mundo, ou simplesmente para mudar nossa vida.

Tire um momento para agradecer a Deus por tudo o que Ele planejou para sua vida: seja aquilo que vem na embalagem que você gosta ou não.

Aceite o que você não pode mudar. E mude aquilo que só depende de você.

O resto? Deixe ir.


2 comentários:

  1. Deixar ir o que é lixo e resgatar os sonhos que ficaram embaixo da pedra...

    ResponderExcluir