Como educadores, lancemos boas sementes...

.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Reeducando o olhar


Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer. Eis que um sujeito desce na estação do metrô de Nova York, vestindo jeans, camiseta e boné. Encosta-se próximo à entrada. Tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.

Mesmo assim, durante os 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes. Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares. Alguns dias antes, Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.

A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino.

Esse é mais um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas, que são únicas, singulares e a que não damos importância.
A criança que corre espontaneamente ao nosso encontro e se pendura em nosso pescoço, o colar que ela faz, contornando-nos o pescoço com os braços não está à venda em nenhuma joalheria… E o calor que transmite dura o quanto durar a nossa lembrança.
A conclusão a que chego é simples:

SE NÓS NÃO TEMOS TEMPO PARA PARAR E OUVIR UM DOS MELHORES MÚSICOS DO MUNDO TOCANDO ALGUMAS DAS MELHORES MÚSICAS JÁ COMPOSTAS, QUANTAS OUTRAS COISAS MAIS NÃO ESTAMOS PERDENDO ??
 É PRECISO REEDUCAR O NOSSO OLHAR.

2 comentários:

  1. Eu diria que não se trata apenas de educar o olhar, mas também de desentupir os ouvidos, entulhados por lixo sonoro de todo tipo. abraço

    ResponderExcluir
  2. Pura verdade vovô João...Há tanto a ser feito!Abração.

    ResponderExcluir