Como educadores, lancemos boas sementes...

.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

É copa. E é no Brasil.

Por Priscila Pereira Boy- Pedagoga- Mestre em Educação
Impossível não falar da Copa do mundo. Principalmente a deste ano, que acontece aqui no Brasil.

 O país vive um misto de sentimentos. Muita euforia com a seleção, muita vontade de ir ao campo, filas quilométricas nas bilheterias, congestionamento na internet. Tudo na ânsia de conseguir um ingresso para o mundial. E não importa o preço ou se o jogo é do Brasil. Pode ser a Colômbia jogando em Cuiabá. O que importa é estar dentro, é fazer parte, é participar.

Por outro lado, muita revolta, indignação, vontade de boicotar, de denunciar. Sabemos que um evento deste porte traz benefícios. Haverá ganho econômico, mas perdas sociais. Investimentos canalizados para obras tiram o foco de hospitais, escolas, políticas de melhoria que beneficiariam a população como um todo. Turismo sexual, tráfico de pessoas, exploração de mão de obra infantil. São tantas coisas agregadas, que a vontade é de protestar, de mostrar ao mundo que somos sim, o país do futebol, mas também do descaso, da corrupção, da desigualdade.

A copa vai acontecer e não há como mudar isto. Então, meu convite é que possamos aprender algumas coisas com esta situação. Pois bem, somos o único país que nunca ficou de fora das Copas, temos os melhores jogadores do mundo, exportamos craques, metodologias de jogo, técnicos. Mas, que curioso: não somos sempre vencedores.

Acontece que vencer, traz consigo uma série de coisas. E nem sempre o Brasil observa todas elas. Vejamos algumas:
1-         FOCO: Um atleta precisa de foco. O que realmente você precisa fazer? Qual a sua posição em campo e quais as suas atribuições? Muitas vezes vemos jogadores de defesa se arvorando no ataque, goleiros saindo da posição, atacantes ávidos por chutar a gol sem rumo. No futebol e na vida, quando perdemos o foco, corremos o risco de perdermos o jogo.
2-         DISCIPLINA: Um jogador tem que vencer muitas tentações. Ter uma alimentação equilibrada, dizer não a alguns prazeres, manter-se firme no seu propósito de treino e na sua rotina diária são alguns dos desafios dos jogadores de futebol. Na vida, quem não tem disciplina não vai muito longe, porque, para chegarmos ao topo, devemos galgar o caminho passo a passo.
3-         CAPACIDADE DE TRABALHAR EM EQUIPE: Na penúltima copa do mundo pudemos evidenciar esta verdade. Nós tínhamos os melhores jogadores do mundo, premiados pelas ligas de futebol Internacional. Inclusive o melhor atacante, o Ronaldo fenômeno. Mas, tanta celebridade junta não foi suficiente para trazer o título. Faltou integração, faltou harmonia, faltou visão de equipe. Se você não sabe atuar coletivamente, seu talento individual acabará sendo apagado e não aproveitado.
4-         TREINAMENTO EXAUSTIVO: Em outras copas vimos que a seleção levou alguns jogos um “pouco na brincadeira”. Aquele glamour que envolve os jogadores faz com alguns não treinem como deveriam. Alguns chegam a ser punidos, porque saem para as baladas e não cumprem as regras e acordos elaborados para extrair deles o melhor desempenho. Lembre-se de que ninguém é tão bom que não precise de um treinamento constante, de um investimento cotidiano.

Se você vai torcer ou não nesta copa do mundo, isto eu não sei. Mas, não deixe de aprender estas lições, pois estas poderão ajuda-lo no seu dia a dia no trabalho, na vida familiar e social.

E que, apesar de tudo, o Brasil seja vencedor. E você também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário